Um olhar sobre as reservas : a colecção Calouste Gulbenkian

Categorias: ,

6.00 

1 em stock

Descrição

Exposição integrada nas iniciativas de homenagem a Calouste Sarkis Gulbenkian (1869-1955), no 30.º aniversário da sua morte, em 20 de julho de 1985, evocando o seu património artístico e mostrando ao público obras habitualmente mantidas nas Reservas do Museu.

«Tapetes Orientais», constituiu um dos núcleos da exposição «Um Olhar sobre as Reservas», de que também fez parte o núcleo «Desenho, Gravura, Estampas e Arte do Livro». Inauguradas em 1985, ambas as mostras tiveram vida autónoma, contando com publicações próprias.

A exposição «Tapetes Orientais» esteve patente ao público até julho de 1986, expondo 26 dos melhores tapetes da Coleção Gulbenkian na Galeria de Exposições Temporárias da Sede (piso 0). O roteiro da exposição, as plantas e o material fotográfico disponível permitem verificar que as peças ocuparam o espaço expositivo segundo três disposições: em suspenso, na horizontal (em estrados) e na vertical (em painéis).

As duas mostras dedicadas às Reservas do Museu registaram um total de 54 301 visitas durante os cerca de doze meses em que permaneceram na Galeria de Exposições Temporárias da Fundação Calouste Gulbenkian.

Foi ponderada a publicação de um álbum de luxo, composto pela reprodução fotográfica dos vinte melhores tapetes da Coleção e por um texto de Calouste Gulbenkian sobre tapetes orientais, incluído num dos capítulos da sua obra La Transcaucasie et la Péninsule d’Apchéron: Souvenirs de Voyage (1891). O projeto não seria concretizado.

A documentação de arquivo reúne alguns artigos veiculados pela imprensa escrita nacional, nomeadamente no jornal Expresso: «Título feliz para uma exposição assaz feliz, porquanto um apurado saber museológico proporciona estimulantes percursos de leitura entre peças de natureza diversa e de tempos e geografias culturais distantes. A errância e o desarrazoado das modulações ondulantes da linha curva pode ser o diversificado e fascinante itinerário que aqui se oferece, entre tapetes orientais dos séculos XVII a XIX, iluminuras europeias e árabes de Quatrocentos, diademas, pendentes, peitorais e pentes art nouveau de Lalique, estampas japonesas de XVII a XIX, ilustrações de livros de XIX a XX.» («Um olhar sobre as reservas. Fundação Gulbenkian», Expresso, 10 ago. 1986)

Esta exposição foi remontada no Palácio Nacional de Mafra em 1988, onde inaugurou no dia 13 de julho, acompanhada da publicação de um roteiro com a reprodução a preto-e-branco de todas as obras (as 26 anteriormente expostas na Fundação Calouste Gulbenkian). Contudo, em Mafra, por razões que se prenderam com a gestão de espaço ficaram de fora quatro dos tapetes que haviam integrado a anterior seleção, os quais foram devidamente identificados numa nota do catálogo.

Detalhes:

Idioma: Português

Autor:

Ano: 1985

Descrição Física: 262 p. [3] f. : muito il. ; 25 cm

Condição: Bem conservado