Spínola o anti-general / Eduardo Freitas da Costa

6.00 

1 em stock

Descrição

O autor trata Spínola como um ingénuo que pôde agir em total impunidade graças ao marcelismo, enleado em indecisão e que não soube fazer frente à tentação de Spínola no abismo da rendição perante o inimigo. Freitas da Costa envolve permanentemente Caetano e Spínola devido à duplicidade e ambiguidade de Caetano que levou naturalmente Spínola a considerar que uma coisa era o que o Caetano dizia para português ver e outra o que no fundo pensava e praticava.