Sim, Camarada / Manuel Rui

15.00 

Descrição

Manuel Rui escreve como vive, de dentes cerrados e sem vírgulas, sem destrinçar o acontecido do sonhado, na ânsia de resumir em poucas linhas o tempo sem medida desta revolução teimosa de teimosos em que as horas duram segundos e os segundos séculos. As liberdades confundem-se, inquietam, entrecruzam-se, lutam, desorganizam e renovam, há que esboçar a crónica desta Vida Quotidiana em Luanda nas Vésperas da Independência, a génese do Homem Novo que generosamente corrige a odisseia e renova a lenda, acrescentando a sua radiante confiança de pioneiro à implacável resolução do guerrilheiro ensinando o heroísmo e aprendendo a humanidade, livre finalmente da mágoa do relógio perdido. A imaginação imprevisível da infância abriu na Guerra de Luanda uma frente paralela, insubmissa e dispersa, uma guerrilha dos pioneiros regida por leis que escapam à compreensão imediata dos adultos, autónoma e inesperada como um jogo, mobilizando as crianças num combate brinquedo impiedoso e mortífero contra o invasor das suas ruas, contra o estrangeiro que se atrevera a calcar o sonho de liberdade novinho em folha com as suas botas de couro e laço. Ao ritmo sincopado das rajadas, os olhos acompanham a figura singular dos meninos de lenda, adultos de palmo-e-meio, heróis sem nome de uma guerra-brinquedo-a-sério, «é nosso é deles é nosso nosso nosso deles», a voz do autor enerva-se de ternura e raiva ao contar este jogo às escondidas com a morte… em memória de todos os pioneiros tombados no terreno da luta…

 

Detalhes do produto

Idioma: Português

Autor: Manuel Rui

Editora: Edições 70

Ano: 1977

Nº Edição:

Descrição Física: 191 [9] p. ; 20 cm

Colecção: Autores angolanos