Racismo e Desporto / José Esteves

Exemplar valorizado pela dedicatória do autor.

10.00 

1 em stock

Descrição

PREFÁCIO

1— Este é um livro de larga recolha informativa, e também de alguma opinião, do seu autor-compilador. Um trabalho que este desejaria fosse «polémico», ou «irritante», ou «provocativo»  —
nas várias direcções possíveis — em esforço mútuo de esclarecimento:
Este livro apresenta-se na mesma perspectiva dum outro, publicado em 1967 e depois reeditado em 1970 e 1975: «O Desporto e as Estruturas Sociais»; e é como que o desenvolvimento do seu
capítulo «O Negro e o Desporto». |
Será pois, na mesma abordagem e no mesmo ânimo de franco-atirador, que vamos, agora, continuar tal esforço de compreensão crítica do fenómeno desportivo. Ou melhor: do espectáculo desportivo de alta competição; que é, este, o dos valores mais expressivos da sociedade competitiva, de recordes e de «progresso)», em que vivemos.
Digamos, pois, que ambos os livros foram organizados através da recolha de larga soma de informacões, para uma «leitura» social, do desporto. Mas uma «leitura» a fazer dum contexto muito variado e rico de lutas — nacionalistas, classistas, étnicas, racistas, sexistas, geracionais, linguísticas, religiosas, ideológicas, de empórios industriais e comerciais, etc. — onde o mesmo desporto se constitue, e exprime, como um reflexo. Daí que, para entendermos o racismo desportivo, sejamos obrigados a um prévio conhecimento do racismo, em geral.

2 — Tentemos, com outras palavras, uma introdução um tanto mais pormenorizada. Para dizer que o desporto de competição a todo o custo, ou da competição-hostilidade, é um simples aspecto da
sociedade agressiva, competitiva e de consumo, em que fomos condicionados, na oposição de uns-contra-os-outros. Nesta sociedade, produzem-se quantias, cada vez mais amplas e variadas, de artigos de consumo, dentre os quais, atraentes espectáculos de características desportivas. Nestes, como no resto, o culto da «vedeta», é fundamental; ou é o mesmo da exaltação da pequena minoria dos «vencedores», dos que sobressaem da multidão imensa dos «vencidos». A sua popularidade, no desporto, não resulta, apenas, de ser uma luta imediata e directa, de adversários-inimigos, mas duma luta encenada com rituais de grande expectativa, emoção e partidarismo.

3 — Nela, porém, a utilização de praticantes das classes desfavorecidas (brancos ou de qualquer outra cor de pele), de modo nenhum constitue algo mais do que uma simples contratação de
trabalho duro e serventuário, mesmo quando bem remunerado. (…)

 

Detalhes do produto

Idioma: Português

Autor: José Esteves

Editora: Básica

Ano: 1979

Descrição Física: 284 p. : il. ; 21 cm