Os Mestres Pensadores / André Glucksmann

1.00 

1 em stock

Descrição

Toda a família trabalha na política. O mais velho, Johann Gottlieb Fich te, passava por jacobino — um futuro Lenine? Hegel, um tanto comedidamente, um tanto espectacularmente, oferece-se para se tornar mestre e senhor não apenas da Natureza (estilo Descartes) como da Sociedade. O domínio da terra, resume Nietzsche. Isso não se recusa.
Em cem anos o pensamento alemão torna-se mundial. O último escol da metafísica ocidental? O primeiro desabrochar do Gulag? Uma anémona, uma flor do vento, do vácuo, insinuaria Sócrates.
Panurgo, que não quer ser explorado, nem roubado, nem enganado, tem direito ao cocktail. Um tudo-nada de revolução francesa, uma casca de economia política inglesa e um velho fundo de ciência alemã recomendado por Marx. Isto não impediu os marxistas de explorarem e de serem explorados, roubados, de procederem como maridos enganados.
A ordem reina no século e a obediência nas cabeças. Face ao Leste, o continente da grande ilusão, no lado Oeste as províncias têm de mentir entre si. A porta, um vagabundo, indivíduo visivelmente deslocado. Há algum tempo, diríamos: um judeu. A família provou que Maio de 68 é impossível. E a revolta dos jovens americanos. E a resistência dos Russos, que raptam Pinochet para o trocar por Brejnev. Quando se ouve falar de contestação, o doutor prepara a injecção.