O Cavalo a Tinta-da-China / Baptista-Bastos

4.00 

1 em stock

Descrição

O Cavalo a Tinta-da-China é um lugar de memórias, um desafio a cada um de nós, e um romance que interpela o destino português. Analisado e entusiasticamente elogiado por ensaísta como Eduardo Prado Coelho, Maria Alzira Seixo, Serafim Ferreira, Eugénio Lisboa ou António Cabrita, o presente livro fala também da fugidia felicidade, do amor e da nostalgia de velhos combates. “Discurso sobre o desespero e a atracção do mundo, romance de palavra luminosa, de reinvenção vocabular, de música verbal”, assinalou Fernando Paulouro Neves. “Retrato amargo e implacável do salazarismo e de Portugal. Um livro corajoso, comovente e desencantado sobre a alma e sobre a dor portuguesa”, acentuou Maria Teresa Horta.

Francisco José, revisor no conservador A Voz, Jornal monárquico e católico, é também um escritor de novelas. Manuel, seu filho, herdou do pai o gosto pela escrita, e dedica-se com Francisco José ao projecto de escrever um livro sobre o poder e a solidão, cujo pretexto seria um retrato de Salazar, homem de perfil e sorriso a meia haste. Retrato apurado e sentido de uma cidade e de um regime, mas também uma obra sobre literatura e seus representantes, por O Cavalo a Tinta-da-China desfilam nomes tão diferentes como Cervantes ou Pessoa, Unamuno ou Júlio Dantas, Malraux ou o repórter X. O resultado é o ressurgimento da memória perdida de uma Lisboa imorredoira, dos anos 20 ao pós-25 de Abril, numa viagem-vertigem que apela em permanência aos sentidos do leitor e que de novo confirma Baptista-Bastos como um dos grandes nomes da Literatura Portuguesa contemporânea.

Detalhes do produto

Ano: 1995

Nº Edição:

Descrição Física: 274 p. ; 20 cm

Condição: Em óptimo estado